[stock-market-ticker symbols="AAPL;MSFT;GOOG;HPQ;^SPX;^DJI;LSE:BAG" stockExchange="NYSENasdaq" width="100%" palette="financial-light"]

Agenda da Frente pela Renovação

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Interesse Nacional enviou este questionário a vários grupos ou movimentos espalhados por todo o País que têm por objetivo revigorar o sistema político brasileiro com práticas éticas, transparentes e a favor do interesse público. A preocupação da Revista, neste número, é mostrar ações da sociedade civil, um pouco daquilo que está acontecendo fora do âmbito do Executivo, do Judiciário e do Legislativo.

1) Quais são os objetivos do movimento?

– A Frente Pela Renovação tem como objetivo principal promover e acelerar a renovação política. Queremos melhorar a qualidade de representação, começando pelo Legislativo Nacional. Dessa forma atuamos em três pilares:

  1. Elaboração e divulgação de uma agenda de princípios para tornar a sociedade mais justa, íntegra, sustentável e democrática.
  2. Seleção e promoção de uma lista de candidatos, íntegros e comprometidos com essa agenda, para atuar no Legislativo Federal.
  3. Monitoramento da atuação do candidato eleito, por meio da aproximação da base eleitoral com seu representante.

2)
O movimento tem uma agenda?

– Sim, nossa agenda possui quatro grandes pilares que consideramos fundamentais para o desenvolvimento do país: justiça, integridade, sustentabilidade e democracia.

3)
Como se dará o apoio do movimento aos candidatos?

 – Aderindo à Frente, os candidatos terão acesso a um programa de governo estruturado (agenda), divulgação de seus projetos nas plataformas dos parceiros (audiência e capilaridade) e desenvolvimento da candidatura (assessoria).

  • Audiência (divulgação)
  • Programa de governo (agenda)
  • Capilaridade (das entidades apoiadoras)
  • Melhoria da representatividade
  • Assessoria (desenvolvimento do candidato)

4)
O movimento vai oferecer apoio material ou financeiro?

  •  Não haverá apoio financeiro direto a candidatos, mas ofereceremos ferramentas que agregam valor à campanha do candidato, como plataformas digitais para anúncios de projetos e assessoria.

5)
O movimento vai oferecer treinamento?
– Sim, por meio de parcerias e investimentos no desenvolvimento dos candidatos.
 Os candidatos da Frente receberão ampla divulgação de seus nomes e candidaturas, orientação para estruturar a campanha, direcionamento para estratégias eleitorais e treinamento das habilidades fundamentais para a prática política e eleitoral, como comunicação. Além disso, a Frente pode indicar, desenvolver e facilitar o uso de tecnologias que auxiliem em divulgação, montagem e eficiência de sua campanha, aumentando as chances de eleição do candidato.
6)
O movimento está focado em alguns estados ou é nacional?

– Nacional, sem nenhuma restrição por estado.
7)
Outras informações de interesse do movimento.

– A Frente buscará candidatos que se identifiquem com nossa agenda e comprometidos com a sociedade brasileira. Acreditamos que todos os esforços que tenham a intenção de provocar a renovação política devem buscar trabalhar de forma integrada – já que estamos em busca do mesmo objetivo.

Acesse o site frenterenovacao.org e leia mais.

Artigos Relacionados

RELACIONADOS

A dupla que assumiu o comando do Congresso nesta segunda metade do mandato de Jair Bolsonaro – o líder do Centrão, deputado Arthur Lira (PP-AL), na Câmara, e o senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), no Senado
Como demonstrado no 'Guide to Advertising Technology' (2018), do Tow Center da Columbia University, são as tecnologias publicitárias que dominam e mandam na Internet. Desse modo, o debate cívico em todos os ambientes das plataformas digitais e nas redes sociais que nelas se formam, é regido também pela lógica das vendas. No entanto, essa não é a única explicação para o processo contínuo de desinformação que o mundo vive - misinformation, disinformation e malinformation, genericamente classificadas como 'fake news' - descrito no documento 'Information disorder: toward an interdisciplinary framework for research and policy making', da Comissão Europeia, que tem servido de base para o início da regulamentação da ação dos gigantes da tecnologia.
O presente texto traz uma tese e duas hipóteses sobre a relação entre a eleição municipal, recém-ocorrida, e o pleito presidencial de 2022. A tese é a de que o resultado da eleição municipal revelou que o sistema político vigente até 2018 não se recompôs da implosão a que foi submetido pela ascensão do fenômeno político-eleitoral do bolsonarismo. A primeira hipótese é a de que esse desfecho aumenta ainda mais o grau de indeterminação do processo eleitoral presidencial que ocorrerá daqui a dois anos. A segunda hipótese é a de que, apesar da inépcia institucional de Bolsonaro, seja à frente do governo, seja pela incapacidade de organizar partidariamente sua base social e ideológica, o bolsonarismo tem chances de disputar, de
Bolsonaro está derretendo e o governo continua sem qualquer direção nas áreas econômica, da saúde e da educação. Esta é a conclusão sobre as eleições municipais; a conta chegou e os candidatos apoiados pelo presidente tiveram desempenho deplorável. Candidaturas que imaginavam decolar com seu apoio - Russomano em São Paulo e Crivella no Rio - foram muito mal. Nenhum dos candidatos com nome Bolsonaro – exceto seu filho, eleito com a metade da votação anterior – conseguiu se eleger, o que mostra a percepção e resposta do eleitorado aos desmandos do capitão neste primeiro período do seu mandato.

newslatter

Receba as últimas atualizações

Inscreva-se em nossa newsletter

Sem spam, notificações apenas sobre novas atualizações.

últimas edições

Estamos nas Redes