25 julho 2023

iii-Brasil: Cobertura sobre o Brasil na imprensa estrangeira registra proporção mais baixa de textos negativos

Apenas 6% das reportagens a respeito do país no exterior ao longo da última semana tinham tom prejudicial à imagem internacional do país. Sem predomínio de um único assunto no período, a mídia internacional tratou da cúpula UE-Celac, dos dados da violência no país e da morte de João Donato.

Apenas 6% das reportagens a respeito do país no exterior ao longo da última semana tinham tom prejudicial à imagem internacional do país. Sem predomínio de um único assunto no período, a mídia internacional tratou da cúpula UE-Celac, dos dados da violência no país e da morte de João Donato.

Por Daniel Buarque e Fabiana Mariutti*

iii-Brasil – de 17 a 23 de julho de 2023

Visibilidade: 49 reportagens em 7 veículos analisados

Classificação das notícias:

63% Neutras

6% Negativas

31% Positivas

A terceira semana de julho registrou a proporção mais baixa de textos sobre o Brasil com tom negativo na imprensa internacional desde o início do monitoramento da imagem do país no exterior pelo Índice de Interesse Internacional (iii-Brasil), em abril de 2022.

No total, foram registrados na terceira semana completa de julho 49 textos com menção ao Brasil nos sete veículos analisados, volume muito abaixo da média semanal do iii-Brasil. A maior proporção dos textos teve tom neutro, atingindo 63% da cobertura sobre o país. As reportagens de tom positivo foram 31% e as negativas foram apenas 6%, a menor proporção já registrada em uma semana do iii-Brasil. 

https://interessenacional.com.br/edicoes-posts/entenda-como-funciona-o-indice-de-interesse-internacional-monitoramento-de-noticias-sobre-o-brasil-no-exterior/

A avaliação qualitativa dos dados não permite indicar um motivo claro para a baixa quantidade de artigos que poderiam ser prejudiciais à imagem do Brasil. Além de uma visibilidade bem abaixo da média semanal no índice, a cobertura sobre o país no exterior tratou de vários temas diferentes, sem predomínio de um único tema. 

Cerca de um quinto das menções ao país no período tratou da Cúpula entre a União Europeia e os países da América Latina e do Caribe, mas mesmo essa cobertura abordou temas variados. O espanhol El País destacou uma declaração do presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre o crescente interesse dos europeus na América Latina, o português Público falou sobre o otimismo do brasileiro sobre o avanço de um acordo entre a UE e o Mercosul, mas avalia que não há motivos que apontem para uma solução no curto prazo. Já o britânico The Guardian tratou da perspectiva de aumento de investimentos europeus na América Latina.

Também tiveram bastante destaque internacional as homenagens ao músico brasileiro João Donato, morto durante a semana. “João Donato (1934-2023), figura histórica da música brasileira. “Pianista, cantor, compositor e arranjador, nome histórico da música brasileira que se envolveu nos alvores da bossa nova sem se prender a esse ou a outros estilos musicais”, diz o português Público. “Cantor, compositor, pianista, acordeonista e arranjador musical, João Donato teve menos destaque do que outros ícones como João Gilberto ou Tom Jobim, mas foi referência para um grande número de artistas brasileiros”, diz o francês Le Monde.

Outro tema relevante foi a divulgação de dados sobre a violência no Brasil, com abordagens variadas. O britânico The Guardian, por exemplo, tratou de aspectos negativos dos dados: “O Brasil viu um aumento preocupante da violência sexual contra mulheres e crianças em 2022, de acordo com novos números que pintam um quadro preocupante de um país que falha em proteger sua população jovem e feminina, principalmente em suas próprias casas”, diz. Já El País enfocou uma parte mais positiva dos dados: “Para um país acostumado a contar seus mortos às dezenas de milhares, cada pequena melhoria é um alento. Embora sejam muitos, os 47.507 brasileiros que perderam a vida de forma violenta em 2022 representam o menor número dos últimos 11 anos”, diz.

Retrospectiva 

Desde o início de abril de 2022, o iii-Brasil coletou e analisou em média 66 reportagens por semana com menções de destaque ao país nos sete veículos de imprensa analisados. 

Ao longo do levantamento, o iii-Brasil registrou em média 50% de reportagens de tom neutro, 31% de menções com tom negativo e 19% de textos positivos sobre o país. 


*Daniel Buarque é editor-executivo do Interesse Nacional, pesquisador do pós-doutorado do IRI-USP, doutor em relações internacionais pelo programa de PhD conjunto do King’s College London (KCL) e do IRI/USP. É jornalista, tem mestrado em Brazil in Global Perspective pelo KCL e é autor dos livros “Brazil, um país do presente” (Alameda) e “O Brazil É um País Sério?” (Pioneira).

Fabiana Mariutti atua como pesquisadora, professora universitária e consultora; obteve pós-doutorado, doutorado e mestrado em Administração e bacharel em Comunicação Social. Estuda a imagem, reputação e marca Brasil desde 2010. Autora dos livros: “Country Reputation: The Case of Brazil in the United Kingdom: Four Stakeholders’ Perspectives on Brazil’s Brand Image(2017) e Country Brand Identity: Communication of the Brazil Brand in the United States of America (2013).


O Índice de Interesse Internacional (iii-Brasil) é uma análise da imagem do país realizada a partir de um levantamento sistemático de dados sobre notícias que mencionam o Brasil a cada semana em sete publicações internacionais, selecionadas como representativas da imprensa internacional por serem reconhecidas internacionalmente como “newspapers of record”. São elas: The Guardian (Reino Unido), The New York Times (Estados Unidos), El País (Espanha), Le Monde (França), Clarín (Argentina), Público (Portugal) e China Daily (China).

Artigos e comentários de autores convidados não refletem, necessariamente, a opinião da revista Interesse Nacional

Cadastre-se para receber nossa Newsletter