24 maio 2022

iii-Brasil: País tem maior visibilidade internacional desde o início da coleta de reportagens da mídia estrangeira

Após uma semana de predomínio de notícias com viés negativo sobre o Brasil, reportagens com tom neutro voltaram a ser a maioria, com 56% do total analisado. Um terço dos textos relacionados ao país tinham tom negativo e podem afetar a imagem internacional do Brasil, e apenas 11% da cobertura foi positiva para a reputação brasileira

Após uma semana de predomínio de notícias com viés negativo sobre o Brasil, reportagens com tom neutro voltaram a ser a maioria, com 56% do total analisado. Um terço dos textos relacionados ao país tinham tom negativo e podem afetar a imagem internacional do Brasil, e apenas 11% da cobertura foi positiva para a reputação brasileira

Por Daniel Buarque e Fabiana Mariutti*

iii-Brasil – 16 a 22 de maio de 2022

Visibilidade: 61 textos

Classificação das notícias:

56% Neutras

33% Negativas

11% Positivas

A terceira semana de maio registrou quantidade elevada sobre o Brasil no exterior entre os sete veículos de imprensa estrangeiros avaliados desde o início do levantamento do Índice de Interesse Internacional (iii-Brasil) da Interesse Nacional. No total, foram coletadas 61 reportagens relacionadas ao Brasil na mídia internacional no período. 

Após uma semana de predomínio de notícias com viés negativo sobre o Brasil, reportagens com tom neutro voltaram a ser a maioria, com 56% do total analisado. Um terço dos textos relacionados ao país tinham tom negativo e podem afetar a imagem internacional do Brasil, e apenas 11% da cobertura foi positiva para a reputação brasileira –O percentual mais baixo na série histórica, junto com o da segunda semana.

https://interessenacional.com.br/edicoes-posts/entenda-como-funciona-o-indice-de-interesse-internacional-monitoramento-de-noticias-sobre-o-brasil-no-exterior/

A visibilidade do Brasil no exterior foi registrada especialmente em Portugal e na Espanha, com registro de 16 reportagens sobre o país nos jornais Público e El País, cada. No periódico português a maior proporção foi de notícias negativas, enquanto o espanhol teve predomínio de reportagens neutras. Em ambos, textos sobre temas culturais tiveram abordagem mais positiva. Ainda, o argentino Clarín relata sobre o aumento do número de turistas brasileiros em Bariloche.

O jornal chinês Daily China também ofereceu uma grande visibilidade ao Brasil no período, com um total de 8 reportagens, todas neutras. A cobertura foi especialmente enfocada no encontro de ministros do BRICS, apresentando os principais pontos discutidos na ocasião pelos representantes do bloco econômico. As reportagens retrataram tom positivo em relação ao grupo como um todo, com uma defesa do seu papel global em um mundo multipolar, e discussão sobre as possibilidades de investimentos conjuntos. Como o Brasil era só mencionado em passagem como um dos membros do grupo, sem um destaque especial, a avaliação é que isso não implica uma visibilidade positiva que possa melhorar a imagem do país.

O jornal francês Le Monde publicou um dos destaques mais negativos sobre o Brasil entre os veículos analisados. Uma longa reportagem especial tratou do caso do congolês Moïse Mugenyi Kabagambe, que foi espancado – na beira da praia ao lado de um quiosque –  até a morte no Rio de Janeiro. Com um título que destacava o “sangue sobre a praia”, a reportagem expôs a violência racista do país, fato apresentado com frequência pela mídia televisiva no país. O mesmo jornal também publicou um outro texto com viés prejudicial à reputação do Brasil, destacando o Primeiro Comando da Capital como um dos maiores exemplos de crime organizado no mundo.

Uma significante notícia negativa, publicada pelo Público, destaca a questão educacional sobre os futuros impactos desfavoráveis no processo de aprendizagem dos brasileiros devido aos impactos da pandemia, perda de rendimento de 9% ao longo da vida, ampliando as desigualdades, estudo realizado pelo FMI.

A partir desta semana de maio, o relatório semanal do iii-Brasil lança um gráfico atualizado  – inserido a cada edição do monitoramento – mostrando a evolução do viés da cobertura internacional analisada. Nesta primeira publicação, é evidente que as notícias de tom neutro, com cobertura factual e sem juízo de valor, têm sido maioria desde que o levantamento teve início. Em apenas duas semanas, houve registro de maior proporção de notícias de tom negativo. É notável também como as reportagens de tom positivo são minoria desde o início do constante levantamento por meio da coleta de dados referente à menção do país. 


* Daniel Buarque é editor-executivo do Interesse Nacional, pesquisador no programa de doutorado em Relações Internacionais do Brazil Institute do King’s College London (KCL) e do IRI/USP. É jornalista, tem mestrado em Brazil in Global Perspective pelo KCL e é autor do livro “Brazil, um país do presente” (Alameda)

Fabiana Mariutti é pesquisadora doutora e consultora sobre gestão de marca de lugar e negócios internacionais; pós-doutorado, doutorado e mestrado em Administração com Bacharel em Comunicação Social. Estuda a marca Brasil desde 2010.


O Índice de Interesse Internacional (iii-Brasil) é uma análise da imagem do país realizada a partir de um levantamento sistemático de dados sobre notícias que mencionam o Brasil a cada semana em sete publicações internacionais, selecionadas como representativas da imprensa internacional por serem reconhecidas internacionalmente como “newspapers of record”. São elas: The Guardian (Reino Unido), The New York Times (Estados Unidos), El País (Espanha), Le Monde (França), Clarín (Argentina), Público (Portugal) e China Daily (China).

Artigos e comentários de autores convidados não refletem, necessariamente, a opinião da revista Interesse Nacional

Cadastre-se para receber nossa Newsletter