[stock-market-ticker symbols="AAPL;MSFT;GOOG;HPQ;^SPX;^DJI;LSE:BAG" stockExchange="NYSENasdaq" width="100%" palette="financial-light"]

in news

iii-Brasil: Assassinato de médicos e morte de botos pioram imagem do país na mídia estrangeira

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Caso de violência no Rio de Janeiro e tragédia ambiental na Amazônia fizeram com que notícias com tom prejudicial à imagem do Brasil fossem maioria pela primeira vez desde o início de junho

Por Daniel Buarque e Fabiana Mariutti*

iii-Brasil – de 2 a 8/10 de 2023

Visibilidade: 50 reportagens em 7 veículos analisados

Classificação das notícias:

42% Neutras

46% Negativas

12% Positivas

O assassinato brutal de médicos em um bar na praia no Rio de Janeiro teve amplo destaque na imprensa internacional e projetou uma imagem negativa do país no exterior. O caso se juntou à notícia sobre a morte de mais de uma centena de botos na Amazônia, em uma tragédia ambiental, e acabou consolidando uma semana prejudicial para a exposição do país no mundo no início de outubro.

No total, foram registrados na primeira semana de outubro 50 textos com menção ao Brasil nos sete veículos analisados, volume abaixo da média semanal do Índice de Interesse Internacional (iii-Brasil). A maior proporção dos textos teve tom negativo, atingindo 46% da cobertura sobre o país – a primeira vez que elas foram a maioria desde o início de junho, quando também reportagens sobre a violência e a destruição na Amazônia predominaram na cobertura da imprensa estrangeira. As reportagens de tom neutro chegaram a 42%, e as menções positivas foram apenas 12% – a menor proporção desde março. 

“Três médicos foram assassinados a tiros num quiosque de praia na Barra da Tijuca, na zona Oeste do Rio de Janeiro. Um quarto médico ficou ferido e foi levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, no mesmo bairro”, diz a reportagem publicada pelo jornal português Público. “Entre os mortos está o irmão de uma parlamentar do mesmo partido de Marielle Franco, política carioca morta a tiros em 2018”, complementa o britânico The Guardian.

Além da notícia original, o caso ganhou ainda mais visibilidade por conta da sucessão de fatos violentos relacionados a ele. O argentino Clarín noticiou que “a polícia brasileira encontrou mortos os quatro alegados traficantes suspeitos de terem participado no assassinato de três médicos no Rio de Janeiro”. Já o espanhol El País explicou os resultados das primeiras investigações: “Tudo apontava para uma execução, já que não havia intenção de roubo nem ameaças prévias. Os criminosos não disseram uma palavra. A linha de investigação indica que o verdadeiro objetivo do massacre foi executar Taillon de Alcântara Pereira Barbosa, que é filho de Dalmir Pereira Barbosa, um dos principais líderes de uma milícia que domina parte da zona oeste do Rio. O filho do mafioso local lembra fisicamente um dos médicos assassinados”

Além do caso de violência, o Brasil também teve destaque negativo notícia de que mais de uma centena de animais (botos e tucuxis) foram encontrados mortos na região de Tefé, na Amazônia. O caso reforça a exposição de problemas do país na área ambiental, que prejudica a imagem do Brasil.

“Um lago virou uma ‘sopa’ quente, e os golfinhos do rio morreram”, diz reportagem do New York Times. “As carcaças de pelo menos 125 golfinhos do rio Amazonas foram encontradas flutuando ou encalhadas depois que as temperaturas no Lago Tefé, no Brasil, atingiram impressionantes 39,1º C”.

Um texto positivo, noticiada pelo Público, de relevância para a imagem o Brasi,l foi sobre o primeiro indígena eleito para a Academia Brasileira de Letras: Ailton Krenak. O autor do recente Futuro Ancestral “era já o favorito desde que tinha anunciado a sua candidatura em agosto”, também escreveu a trilogia composta por Ideias para Adiar o Fim do Mundo, A Vida Não É Útil e Futuro Ancestral, que “contribuíram para popularizar cosmogonias indígenas por todo o Brasil mas também no exterior”.

Retrospectiva 

Desde o início de abril de 2022, o iii-Brasil coletou e analisou em média 65 reportagens por semana com menções de destaque ao país nos sete veículos de imprensa analisados. 

Ao longo do levantamento, o iii-Brasil registrou em média 50% de reportagens de tom neutro, 30% de menções com tom negativo e 20% de textos positivos sobre o país. 


*Daniel Buarque é editor-executivo do Interesse Nacional, pesquisador do pós-doutorado do IRI-USP, doutor em relações internacionais pelo programa de PhD conjunto do King’s College London (KCL) e do IRI/USP. É jornalista, tem mestrado em Brazil in Global Perspective pelo KCL e é autor dos livros “Brazil, um país do presente” (Alameda) e “O Brazil É um País Sério?” (Pioneira).
Fabiana Mariutti atua como pesquisadora, professora universitária e consultora; obteve pós-doutorado, doutorado e mestrado em Administração e bacharel em Comunicação Social. Estuda a imagem, reputação e marca Brasil desde 2010. Interesse nas áreas de Place Branding e Public Diplomacy. Autora dos livros: “Country Reputation: The Case of Brazil in the United Kingdom: Four Stakeholders’ Perspectives on Brazil’s Brand Image(2017) e Country Brand Identity: Communication of the Brazil Brand in the United States of America (2013).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

newsletter

Receba as últimas atualizações

Inscreva-se em nossa newsletter

Sem spam, notificações apenas sobre novas atualizações.

Última edição

Categorias

Estamos nas Redes

Populares