17 maio 2022

iii-Brasil: Reportagens com tom negativo voltam a se tornar maioria na cobertura sobre o país no exterior

Monitoramento de notícias sobre o Brasil na imprensa internacional indica crescimento da abordagem prejudicial à imagem do país no exterior. Segundo o Índice de Interesse Internacional, artigos sobre política, desmatamento, violência e política externa projetaram problemas do país.

Monitoramento de notícias sobre o Brasil na imprensa internacional indica crescimento da abordagem prejudicial à imagem do país no exterior. Segundo o Índice de Interesse Internacional, artigos sobre política, desmatamento, violência e política externa projetaram problemas do país.

Por Daniel Buarque e Fabiana Mariutti*

iii-Brasil – 9 a 15 de maio de 2022

Visibilidade: 36 textos

Classificação das notícias:

39% Neutras

44% Negativas

17% Positivas

Pela segunda vez desde o início do monitoramento de notícias sobre o Brasil na imprensa estrangeira iii-Brasil (Índice de Interesse Internacional), a proporção de textos com tom desfavorável ao país cresceu e se tornou maioria dos que foram coletados para análise. No total, 16 dos 36 artigos encontrados nos sete veículos da mídia estrangeira no estudo tinham potencial de piorar a imagem do Brasil no exterior. Outros 14 adotavam tom neutro, sem juízos de valor, e apenas seis eram favoráveis à reputação brasileira.

https://interessenacional.com.br/edicoes-posts/entenda-como-funciona-o-indice-de-interesse-internacional-monitoramento-de-noticias-sobre-o-brasil-no-exterior/

Ao contrário do que foi registrado em outros momentos em que houve aumento da proporção de textos com tom negativo, dessa vez não foi possível perceber um único tema que tenha levado a esta piora da projeção do Brasil. Enquanto na semana de 18 a 24 de abril, notícias sobre violência e instabilidade política alavancaram a imagem prejudicial sobre o país, nesta segunda semana de maio outros temas se juntaram a essa abordagem ruim para o Brasil.

O desmatamento de florestas brasileiras teve destaque negativo em publicações como o jornal português Público e o britânico The Guardian. O caso de uma mulher resgatada de regime de escravidão a partir de uma denúncia anônima, no Rio de Janeiro, teve espaço em reportagens do espanhol El País e do argentino Clarín. A ação da polícia de São Paulo na cracolândia também apareceu no jornal espanhol, e o jornal chinês China Daily publicou uma notícia sobre problemas políticos do Brasil por conta da influência dos Estados Unidos na região.

Por falar na influência americana, uma mesma notícia pode ser encontrada com abordagens de tons diferentes em veículos da imprensa de países diferentes. Enquanto no americano The New York Times a reportagem sobre o possível esvaziamento da Cúpula das Américas pelo Brasil foi abordada com tom negativo, no China Daily a mesma notícia apresentou tom mais neutro. 

Um aspecto interessante da cobertura internacional nesta semana é que o jornal britânico The Guardian publicou cinco reportagens mencionando o Brasil com destaque. Todas elas tinham abordagem negativa em relação à imagem do país. O jornal publicou texto sobre o apoio do escritor espanhol Mario Vargas Llosa ao presidente Jair Bolsonaro, com uma descrição negativa do cenário político do Brasil – o que também ocorreu no El País. Um outro artigo abordou o aumento no registro de moradores de rua em São Paulo. O Brasil também apareceu negativamente no jornal de forma indireta, sendo citado por seus problemas em reportagens sobre outros temas e países, mas que também diziam respeito ao Brasil. Um exemplo foi uma reportagem sobre o aumento da violência contra jornalistas no mundo em que cita o caso do Brasil como problemático. De forma semelhante, um texto sobre o registro recorde de mortos nos Estados Unidos por conta da pandemia, menciona o Brasil como país que tem uma das mais altas taxas de mortalidade por Covid-19. E uma outra reportagem sobre aquecimento global destinou alguns parágrafos ao aumento do desmatamento no Brasil, alertando sobre a questão da Amazônia.

A exemplo do que se viu em semanas anteriores, artigos sobre aspectos culturais do Brasil prevalecem tangenciando positivo na mídia estrangeira. O Público e o Clarín publicaram reportagens sobre música brasileira, e o jornal português também deu destaque a um texto sobre o Brasil como maior exportador de jogadores de futebol no mundo. 

Nesta semana, entretanto, duas reportagens sobre temas ligados a saúde também destacaram o Brasil positivamente no exterior. Um texto publicado pelo China Daily incluiu o Brasil numa tentativa dos BRICS de estabelecer um sistema de alerta contra propagação de doenças. Enquanto o New York Times destacou a inovadora terapia brasileira que usa pele do peixe tilápia em curativos em pele humana.


* Daniel Buarque é editor-executivo do Interesse Nacional, pesquisador no programa de doutorado em Relações Internacionais do Brazil Institute do King’s College London (KCL) e do IRI/USP. É jornalista, tem mestrado em Brazil in Global Perspective pelo KCL e é autor do livro “Brazil, um país do presente” (Alameda)

Fabiana Mariutti é pesquisadora doutora e consultora sobre gestão de marca de lugar e negócios internacionais; pós-doutorado, doutorado e mestrado em Administração com Bacharel em Comunicação Social. Estuda a marca Brasil desde 2010.


O Índice de Interesse Internacional (iii-Brasil) é uma análise da imagem do país realizada a partir de um levantamento sistemático de dados sobre notícias que mencionam o Brasil a cada semana em sete publicações internacionais, selecionadas como representativas da imprensa internacional por serem reconhecidas internacionalmente como “newspapers of record”. São elas: The Guardian (Reino Unido), The New York Times (Estados Unidos), El País (Espanha), Le Monde (França), Clarín (Argentina), Público (Portugal) e China Daily (China).

Artigos e comentários de autores convidados não refletem, necessariamente, a opinião da revista Interesse Nacional

Cadastre-se para receber nossa Newsletter