26 março 2024

Leia a apresentação do livro ‘O Brasil voltou?’

Obra organizada por Rubens Barbosa e Daniel Buarque reúne artigos que discutem o lugar do Brasil no mundo depois do primeiro ano do terceiro mandato de Luiz Inácio Lula da Silva

Obra organizada por Rubens Barbosa e Daniel Buarque reúne artigos que discutem o lugar do Brasil no mundo depois do primeiro ano do terceiro mandato de Luiz Inácio Lula da Silva

“O Brasil voltou” se consolidou como a declaração mais marcante de Luiz Inácio Lula da Silva ao ser eleito presidente e assumir seu terceiro mandato para governar o país. Ao tomar posse, Lula tentou demarcar a forte diferença da sua política externa em relação ao governo anterior e reforçou a ideia de que o mundo “sentia falta” do Brasil. Seu ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, reforçou a mesma ideia várias vezes e indicou que o principal foco do Itamaraty a partir de janeiro de 2023 seria reconstruir os laços do país no exterior e recuperar a imagem internacional do Brasil.

Desde a campanha eleitoral mais acirrada da história da jovem democracia brasileira, estavam claros dois projetos completamente diferentes para a defesa do interesse nacional e de um lugar de destaque para o Brasil no mundo. Enquanto Jair Bolsonaro reiterava sua posição antiglobalista que havia feito o país perder prestígio ao longo de quatro anos, Lula flertava com posições alinhadas à diplomacia “ativa e altiva” que ajudaram a projetar o Brasil internacionalmente durante os oito anos em que ele havia sido presidente anteriormente. Com a vitória do petista, teve início este esse trabalho de reconstrução do lugar do país no mundo.

Como tudo em política, entretanto, há sempre uma grande diferença entre as intenções e a realidade. E por mais que Lula e Celso Amorim (agora assessor especial da Presidência) tenham sido relativamente bem-sucedidos na primeira década do século 21, os contextos doméstico e internacional em 2023 eram outros. A divisão política das eleições se reflete em uma polarização que torna mais difícil governar, com a necessidade de equilibrar diferentes forças e interesses em Brasília. O cenário internacional também está conturbado, com uma crescente polarização entre os Estados Unidos e a China, além de guerras na Europa, no Oriente Médio e de turbulências políticas em diferentes partes do mundo. Além disso, não há um boom de commodities que impulsionem economicamente o Brasil. 

Há menos espaço para o Brasil preencher, e uma maior dificuldade de posicionar o país na geopolítica global.

Por outro lado, há também oportunidades. Lula volta ao poder em um momento em que o planeta acelera a transformação da proteção ambiental como uma prioridade, parte da luta contra o aquecimento global. Enquanto Bolsonaro incentivou a destruição da Amazônia e fez o Brasil sofrer consequências e perder prestígio, o terceiro mandato de Lula começou com uma aposta muito promissora de usar a proteção da floresta e a diplomacia ambiental como propulsores dessa projeção internacional do Brasil.

Com tudo isso, 2023 foi um ano marcado por muitas transformações na postura brasileira e na tentativa de reposicionar o país nas relações internacionais. Foram dados passos claros no sentido da proposta de fazer o Brasil “voltar”, mas também houve desacertos e tropeços, declarações problemáticas e tensões que atrapalharam nesse processo.

Este livro se debruça sobre esses movimentos para tentar avaliar o alcance dessa tentativa brasileira de reconstruir seu lugar no conturbado mundo nos anos 2020. Ele busca entender o que significa essa ideia de “volta” do Brasil, o que foi alcançado e quais os desafios nesse processo. A obra foi produzida a partir da experiência do portal Interesse Nacional, uma publicação que busca combinar o aprofundamento acadêmico à abordagem jornalística ao tratar sobre política, economia e diplomacia. Um dos focos do portal é justamente tentar entender o lugar do Brasil no mundo, e ao longo de 2023 ele publicou dezenas de artigos que avaliavam, em tempo real, esse duro processo de reconstrução do prestígio brasileiro.

Os autores dos artigos que formam esta coletânea fazem parte do time de colunistas fixos do Interesse Nacional. Depois de passarem o ano escrevendo sobre temas correntes da política doméstica e internacional do Brasil, foram convidados a escrever essas análises mais aprofundadas sobre o primeiro ano do terceiro mandato de Lula a fim de discutir até que ponto a ideia de que o Brasil “voltou” faz sentido, qual o legado deixado pela extrema-direita, em que áreas o país avançou para se recolocar como protagonista global, onde houve acertos, erros e o que é preciso fazer para que o país assuma uma posição de destaque no mundo. O resultado é um diagnóstico interessante sobre os avanços, os entraves e os desafios enfrentados pelo Brasil nessa busca por uma posição importante nas grandes decisões do planeta.


Daniel Buarque é editor-executivo do portal Interesse Nacional. Pesquisador no pós-doutorado do Instituto de Relações Internacionais da USP (IRI/USP), doutor em relações internacionais pelo programa de PhD conjunto do King’s College London (KCL) e do IRI/USP. Jornalista, tem mestrado em Brazil in Global Perspective pelo KCL e é autor de livros como "Brazil’s international status and recognition as an emerging power: inconsistencies and complexities" (Palgrave Macmillan), "Brazil, um país do presente" (Alameda Editorial), "O Brazil é um país sério?" (Pioneira) e "o Brasil voltou?" (Pioneira)

Artigos e comentários de autores convidados não refletem, necessariamente, a opinião da revista Interesse Nacional

Cadastre-se para receber nossa Newsletter