O Brasil e o G20 na paz em suspenso 

País tem defendido a necessidade de adaptar a governança internacional à emergência de novos atores e desafios globais. Em tempos de escassez de lideranças, a legitimidade democrática emana da capacidade de gerar avanços sociais no plano interno e estabilidade política no plano externo

Teoria dos jogos mostra a dificuldade de o Brasil conquistar assento permanente no Conselho de Segurança

Daniel Buarque 20 junho 2024

Estudo sugere que os países que já têm assentos permanentes no Conselho de Segurança (Estados Unidos, Rússia, Reino Unido, França e China) tendem a buscar manter o status quo, pois possuem interesses em conservar seu poder de veto e influência global

Brasil não assina declaração da Cúpula para a Paz na Ucrânia

Agência Brasil 17 junho 2024

Lula diz que presidentes da Ucrânia e Rússia deveriam se sentar à mesa

O Brasil é líder em liderança?

Sean Burges 17 junho 2024

A intuição de Lula levou o Brasil à beira de um novo estilo de liderança na comunidade internacional que poderia impulsionar o tipo de colaboração necessária para resolver grandes desafios internacionais. Para ser eficaz, o discurso deve ser acompanhado por grandes mudanças na abordagem tática do Brasil sobre as relações exteriores

Postura do Brasil sobre a Ucrânia revela mudança estratégica arriscada com foco na economia

Daniel Buarque 13 junho 2024

Estudo avalia a posição do governo Lula em relação ao conflito e a rejeição em condenar a ação da Rússia e indica que interesses econômicos em um aprofundamento nas relações com o Sul Global podem explicar o realinhamento diplomático do país

Brasil aparece como centro do mundo no novo mapa-múndi do IBGE

Jornal da USP 13 junho 2024

Rúbia Morato e Daniel Buarque comentam o novo mapa, anunciado em evento na Casa G20, que está à venda e deve constar nos atlas escolares

O Brasil na nova multipolaridade desbalanceada

Com a crescente tensão entre EUA, Rússia e China em um sistema global desequilibrado, a manutenção de uma política externa brasileira de autonomia pela diversificação passa a ser um desafio. Se antes coalizões com Moscou e Pequim eram vistas como geradoras de oportunidade, agora podem ser interpretadas como se o Brasil estivesse assumindo um lado

A crise brasileira de Essequibo

Sean Burges 10 junho 2024

Embora a escalada da tensão entre Venezuela e Guiana devesse ser simples e se resolver por conta própria, há um risco real de ela explodir e destruir a credibilidade regional e internacional do Brasil, se Lula não a controlar

Incertezas cercam futuro da parceria Brasil-EUA após 200 anos

Jornal da Unesp 07 junho 2024

Tullo Vigevani, especialista em relações internacionais, analisa a história dos dois séculos de relacionamento entre os países, que forjaram fortes laços nas mais diferentes áreas, da economia à cultura, mas também registraram importantes episódios de discordância e atritos. Celebração ocorre em momento em que sucessão no governo dos EUA pode resultar em mudanças e desencontros na agenda comum

Proposta de paz para a guerra em Gaza

Rubens Barbosa 07 junho 2024

A proposta para o fim gradual das hostilidades é de difícil aceitação pelos dois lados pelos inúmeros e importantes detalhes que terão de ser negociados antes da sua aceitação. De qualquer forma, a aparente pressão do governo Biden poderá ser um fator relevante para ambos os lados poderem encontrar alguma fórmula que permita avançar.

Cadastre-se para receber nossa Newsletter